Título: O Menino que Desenhava Monstros
Título Original: The Boy Who Drew Monsters
Autor: Keith Donohue
Tradutor: Cláudia guimarães
Gênero: Suspense, Mistério
Páginas: 256
Ano: 2016
Editora: Darkside Books
ISBN:  9788594540010
Classificação: 3,5/5

Sinopse: Um livro para fazer você fechar as cortinas e conferir se não há nada embaixo da cama antes de dormir. O Menino que Desenhava Monstros ganhará uma adaptação para os cinemas, dirigida por ninguém menos que James Wan, o diretor de Jogos Mortais e Invocação do Mal. Jack Peter é um garoto de 10 anos com síndrome de Asperger que quase se afogou no mar três anos antes. Desde então, ele só sai de casa para ir ao médico. Jack está convencido de que há de monstros embaixo de sua cama e à espreita em cada canto. Certo dia, acaba agredindo a mãe sem querer, ao achar que ela era um dos monstros que habitavam seus sonhos. Ela, por sua vez, sente cada vez mais medo do filho e tenta buscar ajuda, mas o marido acha que é só uma fase e que isso tudo vai passar. Não demora muito até que o pai de Jack também comece a ver coisas estranhas. Uma aparição que surge onde quer que ele olhe. Sua esposa passa a ouvir sons que vêm do oceano e parecem forçar a entrada de sua casa. Enquanto as pessoas ao redor de Jack são assombradas pelo que acham que estão vendo, os monstros que Jack desenha em seu caderno começam a se tornar reais e podem estar relacionados a grandes tragédias que ocorreram na região. Padres são chamados, histórias são contadas, janelas batem. E os monstros parecem se aproximar cada vez mais. Na superfície, O Menino que Desenhava Monstros é uma história sobre pais fazendo o melhor para criar um filho com certo grau de autismo, mas é também uma história sobre fantasmas, monstros, mistérios e um passado ainda mais assustador. O romance de Keith Donohue é um thriller psicológico que mistura fantasia e realidade para surpreender o leitor do início ao fim ao evocar o clima das histórias de terror japonesas.
"Às vezes, uma imagem surgia do nada, e ele se sentia obrigado a colocá-la no papel o mais rapidamente possível. Outras vezes, ele desenhava coisas apenas porque queria, e essas eram as imagens que ele controlava."

SOBRE O AUTOR

Keith Donohue nasceu em 1959, na Pensilvania, Estados Unidos. Atualmente é Diretor de Comunicações da Comissão Nacional de Publicações Históricas e Registros. Já escreveu artigos para New York Times e outros jornais. Entre suas obras estão "O menino que desenhava Mosntros" e "A criança roubada".

"Ele ficou olhando as luzes coloridas da árvore de Natal, tocando-as para ver se as azuis eram mais quentes que as vermelhas e se as verdes eram frescas como a grama, mas todas eram iguais, o calor tão minúsculo quanto o do coração de um pássaro."

MINHA OPINIÃO

Lançado ano passado pela editora DarkSide Books, cheguei a comentar que era um dos lançamentos que eu estava ansiosa para começar a ler. Esse ano, finalmente consegui. Como primeira impressão, gostei bastante da capa. Como se trata de um menino que desenha monstros, a capa retrata bem isso e deixa um pouco de mistério no ar.

Jack é uma criança com síndrome de Asperger — um transtorno do desenvolvimento do cérebro que tem os aspectos físicos e capacidade intelectual normal, porém, possuem problemas em se relacionar com as pessoas e um pensamento mais lógico e concreto. Aos três anos ele passou por uma situação traumatizante, quase morreu afogado no mar, isso piorou sua situação. Agora, os pais praticamente lutam com o garoto para tirá-lo da casa, todas as vezes que ele precisa ir ao médico. Nick é o único amigo do menino, sempre faz visitas, mas muitas vezes ele sente-se obrigado a ir brincar com Jack.

Os pais dos dois meninos são amigos de longa data, mas seguiram caminhos diferentes ao sonhado. Tanto que podemos observar uma boa diferença entre os casais, enquanto os pais do Jack são frustrados por não terem conquistado o que haviam planejado, o relacionamento entre eles não está tão harmonioso, existe brigas e um clima muito tenso. Já os pais do Nick possuem um relacionamento mais equilibrado, para renovar aquele clima de casal eles decidem viajar juntos, ou seja, eles ainda buscam renovar a chama do amor, são pessoas alegres, aparentemente felizes.

A história inicialmente é lenta, então se você está buscando algo de terror e agitado, pode perder as expectativas. Um dos pontos que poderia ser positivo, mas a meu ver se tornou cansativo, já que apresenta cenas repetidas a partir da visão de outro personagem. A ideia é boa, mas para mim, ficou exaustivo.

Outro ponto negativo foi culpa minha, criei muitas expectativas em cima do livro, principalmente após ler Um Mundo à Parte de Jodi Picoult, acredito que a história seria tão interessante quanto ao primeiro livro que li este ano. Então, essa perspectiva elevada, fez com que nascesse uma frustração conforme eu fui lendo. Acontece, que o livro, de acordo com a minha opinião, não fala de monstros tenebrosos, mas de monstros que nós criamos. Está envolvendo o passado dos personagens, seus medos e suas próprias frustrações. Até aí estamos muito bem, mas a forma como a história foi escrita, em seu início lento e tentando apresentar os personagens, me fez desanimar e perder o ritmo. Fiquei sem me conectar com cada um, era muito difícil entrar na mente do personagem e entendê-lo, quando eu finalmente congui, ocorria algo no enredo que quebrava isso.

Como fator positivo, vejo o clima que se tornou em volta dos personagens, ele foi muito bem descrito, mesmo que muitas vezes tenha sido repetitivo. Assim como essa mistura entre monstros, que realmente se você parar para ler em uma noite fria, todos dormindo e você ali, escondida entre as cobertas, dá aquele medinho. Mas, quando você olha de uma forma diferente, ver que os monstros, não são exatamente monstros, e que todos nós criamos os monstros de Jack, tanto que tem um espaço para você desenhar os seus. Mas e aí, são ou não são monstros? Levando em consideração que são medos e frustrações, sim são monstros, mas escondidos dentro de nós e que muitas vezes crescem tanto, que podem afetar as pessoas que estão ao nosso redor.

Então, para você que busca um bom livro para ler e que não esteja querendo algo com muito terror, esse é indicado. Você vai parar, olhar de baixo da cama, mas isso passar depois de alguns minutos, prometo!

Onde comprar?
Amazon, Livraria Cultura e Lojas Americanas. Os preços estão entre R$ 26,90 e R$32,00.


Até a próxima!


Deixe um comentário